Descentralização do apoio cultural para o cinema regional


Por Rodrigo Pereira
Redação 3

A descentralização dos recursos para produções artísticas tem ganhado reforços importantes tanto do poder público como privado. De um lado há iniciativas do poder público como o VAI – Valorização de Iniciativas Culturais, programa de apoio à cultura da cidade de São Paulo, que em 2007 selecionou 100 propostas, concedendo R$ 17 mil a cada uma, para realizar seu projeto. Uma segunda iniciativa nestes moldes é o FICC em Campinas, como enfatiza a repórter Camila Dantas em matéria para o Redator On Line. Por outro lado, eventos que têm o apoio da iniciativa privada e dos municípios onde são realizados abrem espaço ao livre acesso a produções artísticas, como a Feira Nacional do Livro e o FATU.

A Feira acontecerá em um espaço de 24 mil m², no parque Santa Maria.

A Feira acontecerá em um espaço de 24 mil m², no parque Santa Maria.

No campo do cinema, em Jaguariúna, acontecerá de 22 a 26 de outubro, a 1ª Feira Nacional do Livro, que dentre várias atrações culturais, terá um espaço para a exibição de curtas-metragens, privilegiando a produção alternativa e independente da região. As inscrições gratuitas são feitas mediante envio do material por correio e a escolha segue critérios de qualidade e conteúdo.

A entrada nas exibições também é franca. A iniciativa em realizar a 1ª Feira Nacional do Livro de Jaguariúna foi da Editora Gazeta. O proprietário da editora e idealizador da feira, Ricardo Azevedo, afirma que “quanto mais espaços surgirem, mais os autores ganham suporte e apoio para novos projetos”. Ele também destaca que o evento surgiu com a idéia de atender a carência de eventos culturais e educativos nesta região. Desta forma, Ricardo espera um retorno positivo do público:
”A democratização do acesso ao conhecimento deve ser incentivada, mas também ‘buscada’ pelos interessados. Assim, nossa grande expectativa é que o público compareça à feira, que está sendo feita com entrada franca. Esta é uma importante forma de democratização: estaremos oferecendo todas as atrações sem custo, basta o público comparecer”, conclui.

Em Socorro, de 16 a 21 de setembro, acontecerá o 4º Festival de Festival Brasileiro de Filmes de Aventura e Turismo – FATU, realizado pela produtora independente AVENTURAcomBR. Uma das idealizadoras do projeto juntamente com Yuri Sanada, Vera Sanada explica que a idéia de criar o primeiro festival de cinema voltado exclusivamente para a aventura e o turismo veio com a possibilidade de mostrar às pessoas como produzir um filme (a equipe também realiza workshops de vídeo) e posteriormente como conseguir espaço para exibi-lo. “Há um grande número de produções de filmes voltados a este gênero no Brasil. O problema é que faltam espaços para a divulgação deste material”, explica Vera. A produtora também coloca como problema o maior incentivo a produções estrangeiras neste gênero: “Os melhores documentários exibidos nas tvs por assinatura, em programas de tv aberta e nos cinemas são estrangeiros.

Cine Cavaliere Orland, onde é realizado o FATU.

Cine Cavaliere Orland, onde é realizado o FATU.

Esperamos que o FATU, dando uma chance aos produtores nacionais, melhore cada vez mais o nível de nossas produções, até que possamos começar a competir com as produções estrangeiras que invadem nossos lares todos os dias”.

A novidade deste ano para o festival, segundo Vera, será a exibição de curtas-metragens produzidos por alunos de cinco escolas do município de Socorro. Os participantes do projeto passaram por um workshop ministrado pela própria dupla organizadora do festival. A entrada nas exibições é gratuita. O FATU tem apoio da Ancine, do Ministério da Cultura, da Adventure Sports Fair, da prefeitura e do COMTUR (Comissão Pró-Turismo) de Socorro.

Confira o teaser de um dos filmes que serão exibidos no FATU 2008. “Ohana Pupo” conta a história da vida do surfista profissional Wagner Pupo, que se mistura com a profissionalização do esporte no país.

Já em Campinas, um dos pontos conhecidos de exibição de produções independentes e alternativas de cinema é o Museu da Imagem e do Som (MIS), que conta com diversos cineclubes, das mais diversas vertentes. Confira abaixo uma entrevista em áudio com o estudante de ciências sociais Samuel Ribeiro dos Santos Neto, um dos idealizadores do Carnificina Cineclube, o único grupo do MIS que volta-se especificamente para a exibição gratuita de filmes de terror.

Cinema Alternativo – Carnificina Cineclube – pt.1

Cinema Alternativo – Carnificina Cineclube – pt.2



Links Recomendados:

– Artigo de Eleilson Leite, do Le Monde Diplomatique, sobre Produção Independente, Conhecimento Livre e Incentivos Federais para a cultura

– Informações sobre a área de fomento à produção cinematográfica da ANCINE

– Site do Porta-Curtas, o maior portal de curta-metragens do Brasil, patrocinado pela Petrobrás

*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s