Anfetaminas: quando o remédio ameaça tanto quanto a doença

Mariana Dorigatti
T-03 N
Do Redator On Line


 

Buscando perder peso, muitas pessoas se deparam com um tipo de medicamento que promete inibir a fome e aumentar o metabolismo fazendo com que o usuário perca peso de forma muito rápida. Esse tipo de droga é a anfetamina, muito sedutora, mas muito mais perigosa.

 

A anfetamina age diretamente no sistema nervoso central, proporcionando euforia e concentração, o que causa um significativo aumento da capacidade física e mental do usuário. Porém faz com que o organismo trabalhe acima de suas capacidades, o que é extremamente prejudicial à saúde.

 

Ao ingerir a droga, a pessoa pode sentir insônia, perda de apetite, energia em excesso, fala acelerada e boca seca. Porém o uso indiscriminado de anfetaminas em longo prazo pode causar um aumento da pressão vascular, ou seja, do coração, que pode resultar em um infarto e também a pressão intracraniana que pode gerar um AVC (Acidente Vascular Cerebral), e também a explosão de uma artéria cerebral, que é o aneurisma cerebral, muito comum em jovens.

 

Os transtornos psicóticos também são muito comuns em usuários de anfetaminas, tais como, transtorno Bipolar, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), Síndrome do Pânico, Transtorno de Personalidade, além de depressão e ansiedade.

 

Como afirma a nutricionista Alessandra Missio Pereira, o uso de anfetaminas quase nunca é recomendado, somente em alguns casos de obesidade grau III, em que o tratamento, acompanhado por médicos, faria a pessoa emagrecer cerca de quinze quilos em uma semana, tirando-a de uma zona de risco causada pelo excesso de gordura.

 

Além disso, a interrupção do consumo causa um efeito rebote onde a pessoa começa a sentir fome novamente e pode engordar duas ou três vezes mais do que antes de consumir o remédio. Por essa razão é que o uso deve ser restrito a pessoas que realmente precisam perder peso depressa. “Não compensa o uso de anfetaminas no caso de um emagrecimento pequeno”, afirmou a nutricionista Alessandra Pereira.

 

A melhor opção para manter o peso e ter mais disposição no seu dia a dia é uma alimentação equilibrada e atividade física. Essa é a “dupla” que até hoje traz a melhor qualidade de vida para quem quer emagrecer e se manter saudável ao mesmo tempo. A dieta equilibrada é feita a partir de uma reeducação alimentar, em que o nutricionista ensina a pessoa a comer, fazendo com que ela consiga manter um peso saudável ao longo da vida a partir da mudança de comportamento.

2 pensamentos sobre “Anfetaminas: quando o remédio ameaça tanto quanto a doença

  1. Só um adendo: Trantorno Bipolar do humor, não é um doença de “dupla personalidade” como nossa colega disse no vídeo, no mais, as informações estão corretas. Grato, Will (BipolarBrasil).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s