Desenvolvimento sustentável: mudança de atitude ou marketing?

João Victor Carvalho de Barros

Redação 06

Achar maneiras que o mundo continue em desenvolvimento sem atingir a natureza é a missão de economistas e ambientalistas. Empresas no mundo todo buscam maneiras de, ao menos, minimizar o impacto causado todos esses anos. No Brasil não é diferente. Em grandes e pequenas empresas é facilmente encontrado projeto de responsabilidade ecológica.

Fica a dúvida: a intenção dessas empresas é realmente ajudar na reestruturação do meio ambiente ou é puramente uma questão econômica e de marketing? Para Hugo Penteado, economista do Banco Real e estudioso da sustentabilidade em nosso planeta, não importa o objetivo e sim que algo seja feito. “O importante é que possamos ver que os prejudicados somos nós e não o planeta. Se não mudarmos a nossa mentalidade e, também, nossas atitudes, tudo vai continuar igual”, afirmou Penteado.

O chamado desenvolvimento sustentável surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental. Hugo afirma, ainda, que a maneira como se busca a sustentabilidade é errada. “É como se após passar o trator para derrubar as árvores da Amazônia, nós déssemos marcha ré, mas com a natureza as coisas não são tão simples assim”, disse Penteado.

Acontecimentos recentes como furacão Katrina, derretimento das geleiras do pólo norte e tsunamis só comprovam que as ações em torno do meio ambiente precisam ser mais eficientes. O empresário do ramo de pneus, Marcos Souza, acredita que a responsabilidade não é apenas das empresas, mas de cada cidadão. “De que adianta as empresas buscarem formas de não agredir a natureza, se o que vemos nas ruas são pessoas nada preocupadas, que jogam lixo no chão, não reciclam materiais, gastam água sem remorso?”, questionou o empresário.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, em inglês), da ONU (Organização das Nações Unidas), divulgou em 2007 um estudo que mostra que a temperatura de nosso planeta deve subir de 1,8ºC à 4ªC até 2100, “talvez por se tratar de uma data aparentemente distante, muitas pessoas não se preocupam”, acredita Penteado. “Outras espécies, por exemplo, os dinossauros, já sumiram de nosso planeta, a terra seguiu seu fluxo, com o homem não há motivos para ser diferente se não houver uma mudança das pessoas”, concluiu o economista.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s