A ilegalidade por uma vida melhor

Maria Sousa, por enquanto, apenas vê as fotos mandadas pelo marido, mas sonha em sair do pais.

Maria Sousa, por enquanto, apenas vê as fotos mandadas pelo marido, mas sonha em sair do país.

Adilson Luís Jorge

Redação 06

 

Maria Ap. Pires de Sousa acorda às 4h30 da manhã e não mais tarde que 5h15 já está a caminho do trabalho. É faxineira em um colégio de Amparo/SP. Durante o dia é impossível não lembrar do marido que há 8 meses embarcou no aeroporto de Garulhos com destino a uma vida melhor na Inglaterra, na cidade de Birmingham, a

120 km de Londres. É difícil a ausência, mas ela já planeja a ida do resto da família, seus dois filhos, Helen, de 13 anos, e Kléber, de 20. Porém, viver ilegalmente é uma decisão que já decidiu tirar dos planos.

 

“Tenho medo de ser barrada no aeroporto e perder todo o dinheiro gasto na viagem. Não quero que meus dois filhos passam por algum constrangimento. Nós sabemos como está severa a fiscalização na Europa. Não quero arriscar, apesar da saudade que estou do meu marido. Queremos o quanto antes ir morar com ele na Inglaterra, lugar no qual poderemos construir uma vida muito melhor que no Brasil. Quero tirar a cidadania italiana antes de partir”, disse lembrando que os cidadãos italianos podem, desde a criação da União Européia, trabalhar e circular livremente entre os países do bloco.

 

Muitos não pensam assim. A imigração ilegal, principalmente nas últimas décadas, criou proporções gigantescas. O sonho de realizar os crescimentos profissional e pessoal em países desenvolvidos tem levado ao extremo pessoas de todo o mundo. Esse desejo de realização é barrado nos assuntos legais, que diferencia de um país para outro, e tornou-se um grave problema internacional. Imigrantes ilegais e refugiados são presos diariamente em todo o planeta. “O imigrante que busca o mercado de trabalho norte-americano, por exemplo, foge de uma condição de penúria econômica, o que beira a condição de um refugiado”, diz o professor de Direito Internacional da Universidade São Francisco, Alex Real Ferreira.

 

As estatísticas oficiais do Ministério das Relações Exteriores mostram que desde a década de 1980 o fenômeno da emigração é realidade na sociedade brasileira. Hoje, segundo dados do Ministério, cerca de 1,5 milhão de brasileiros vivem fora do Brasil e 3,5 milhões viajam ao exterior por motivos diversos como turismo e negócios.

 

Mas “fazer a vida”, como alguns dizem, em outro país não é tarefa fácil. Os países desenvolvidos – destino da maioria desses brasileiros – têm criado políticas de imigração severas. Ter todos os documentos em mãos e provar o objetivo da estadia nos países é uma tarefa complicada para os brasileiros que vão aos países com o intuito de trabalhar. Muitos deles entram com estudantes e permanecem no país mesmo depois de vencido o visto.

 

O custo é alto. A passagem de ida e volta, sendo essa obrigatória para vistos de estudantes, hospedagem e matricula em um curso. “Tenho medo de gastar tanto dinheiro. Investir esse valor tão alto e ser barrada logo no aeroporto”, disse Maria. “Além de que terei que levar os meus dois filhos, sendo uma ainda de menor, com 13 anos. Não quero passar pelo risco de vê-los sendo humilhados ou até mesmo presos como bandidos no aeroporto”, completou.

 

Passar pela imigração nos aeroportos europeus e americanos não é fácil mesmo para os que estão com toda a documentação exigida. Angelina de Almeida, que atualmente mora em Milão, na Itália, onde trabalha como modelo afirma que a discriminação acontece e que várias outras amigas e amigos passam pela mesma situação. “Viajo muito por conta do trabalho. Sempre quando chego em um aeroporto, fazem muitas perguntas e já chegou vezes nas quais o funcionário da imigração me tratou como se eu fosse entrar no país para me prostituir”, lembrou.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s