Você sabe o que é Oneomania?

Thaísa Lopes (thaisa_mlopes@hotmail.com)

Doença ligada ao consumo causa pode ser tratada com sessões de terapia e grupos de apoio

 A Oneomania, desordem psicológica na qual a pessoa sente uma enorme pressão para fazer compras, é mais frequente do que se imagina. Para a psicóloga Daisy Kaiser, a pessoa não sente culpa da sua compulsão, ocasionada por fatores como ansiedade e depressão. Ela não se importa com o objeto comprado e pode até descartá-lo depois. “Essa pressão para fazer compras é baseada em uma profunda carência afetiva, sentimento de frustração, um enorme vazio dentro de si e ansiedade descontrolada”, diz.

Mas é importante diferenciar consumidor de consumista. Todos nós somos consumidores, pois precisamos comprar produtos e serviços para nossa sobrevivência. Já o consumista é o descontrolado, o que compra sem necessidade, é quando se perde o senso crítico e se age por compulsão.

A psicóloga conta que o consumismo pode ser aprendido na família e tornar-se um hábito, entretanto quando se gasta mais do que se tem isso pode se transformar em doença: “Os pais podem educar os filhos de maneira a valorizar as melhores marcas, coisas caras ou em grande quantidade. Mas quando a pessoa passa a comprar além de suas possibilidades, isso se torna uma doença, uma compulsão, algo que ela não consegue controlar”, afirma. Mas calma, se você prefere comprar roupas na promoção, por exemplo, não significa que você tem a doença, desde que você tenha consciência do que está sendo comprado e qual a utilidade que isso terá em sua vida.

 O tratamento mais indicado para a Oneomania é fazer uma terapia para que a pessoa tome consciência de sua doença, descubra a sua causa e controle esse impulso. Os grupos de apoio também podem ajudar a pessoa vencer o vício. Já o tempo de duração do tratamento vai variar de acordo com o grau de dependência. “A pessoa pode ficar controlada quando fizer o tratamento psicoterápico, mas não é fácil prever o tempo que isso pode levar. Muitas vezes pode ser necessário o uso de medicamentos para diminuir a ansiedade no início do tratamento”, conclui a psicóloga.

 Além disso, se não for tratada, a Oneomania pode trazer sérios prejuízos financeiros para o compulsivo.

 Publicidade

 Nos dias de hoje as pessoas são bombardeadas a todo tempo por propagandas que oferecem o “produto dos sonhos”, com os melhores preços e as melhores opções de pagamentos.

 A publicitária Jéssica Soligo, conta que a propaganda trabalha com a persuasão e o com a imagem das marcas. “A publicidade é uma comunicação de caráter persuasivo e informativo, que visa defender os interesses das empresas, trabalhamos então com a atenção, memorização e a persuasão”, ressalta.

 Para dar visibilidade à marca é feito o branding, em que se cria uma imagem da marca na qual o público se identifica com ela e o desejo é despertado. “Quando temos a possibilidade de optar por produtos similares, escolhemos o produto de marca na maioria das vezes. Quando isso acontece, o processo de branding fica evidente” completa.

 Conheça os principais sinais da compulsão

Dicas

 Diante de tantas tentações, a psicóloga Daisy Kaiser, destaca algumas táticas para não exagerar na hora das compras:

 – Não vá ao supermercado com fome, pois fatalmente compramos mais do que queremos;

 – Não compre logo na primeira loja, procure mais para ter tempo de refletir a real necessidade daquele produto;

 – Ser crítico quanto às propagandas enganosas percebendo a intenção oculta naquela oferta;

 – Organize previamente o orçamento para ter em mente o quanto pode gastar.

Trailer filme – “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”, a história de uma jovem que só pensa em gastar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s