Filhos de estimação

A configuração das famílias está mudando e pessoas tratam seus animais como seres humanos

Jéssica Momentel (jmomentel@hotmail.com)

Os animais de estimação, sejam eles cães, gatos ou até mesmo cavalos, estão cada vez mais “humanos”. Com nomes de gente, usando roupas, jóias, perfumes, recebendo comida especial e sendo tratados como verdadeiros reis e rainhas, eles deixaram de ser os melhores amigos do homem para se transformarem em filhos.

Sim, é como filhos que muitos humanos hoje tratam seus bichos. Eles se tornaram o centro das atenções.           

A psicóloga Marilice Franco explica que a hipótese para este fenômeno é que a configuração da família está mudando. “Com a correria do dia-a-dia, as pessoas se sentem mais sozinhas, por isso passam a considerar o animal como filhos”, comenta. 

Hana, Luana, Zara e Gabi são tratadas como filhas por Fabiana e Sandro

E não precisa procurar muito para encontrar exemplos de humanização dos animais. Na casa da revisora de texto, Fabiana Dias de Palma, de 37 anos, e do engenheiro mecânico, Sandro Palma, de 36 anos, as yorkshires Hana, Luana, Zara e Gabi fazem parte da família. 

 “É como se elas fossem nossas filhas. Às vezes, para chamá-las eu falo: ‘vem com a mamãe’ e minha filhinha Helena, de dois anos, pensa que estou falando com ela e responde”, comenta Fabiana.

A atenção com as yorkshires é tanta que a revisora de texto já fez até festa de aniversário para as cachorrinhas.

“Eu sempre tive vontade de fazer uma festinha para elas, porém nunca tinha tempo. Mas, neste ano deu certo do aniversário da Zara ser em um sábado. Eu e a Helena aproveitamos e fizemos um bolo, colocamos a velinha e cantamos parabéns. Todas as cachorrinhas ficaramem volta. Foibem bacana”, conta Fabiana.

Amor incondicional

A psicóloga Marilice destaca também que a humanização dos bichos ocorre porque as pessoas acham que a interação com os outros seres humanos ficou complexa demais e acabam transferindo esse amor para um animal de estimação.  

A gata Dara e a égua Jade são as paixões de Mariani

A designer Mariani Camargo, de 27 anos, não esconde a paixão que tem por sua gata Dara e pela égua Jade. “Como não tenho muitas

amigas me apeguei a elas”, afirma.

“As trato como seres humanos. Meu carinho é tão grande que, às vezes, me esqueço que elas são animais”, ressalta.

E Mariani completa. “A Jade me ajuda a fugir do estresse, pois pratico hipismo rural com ela. E a Dara é o meu amor, minha paixão. Eu mimo demais ela. Às vezes, minha mãe chega a ter ciúmes da nossa relação”, revela. 

 Relação quase perfeita

Um animal de estimação não reclama se você demora para voltar do trabalho ou de uma festa, muito mesmo critica se você não quer dar uma volta no quarteirão. É por isso que muitas pessoas acreditam que este seja o tipo de relação perfeita.

No entanto, Marilice alerta que quando os bichos são tratados como humanos eles podem perder a referência. “Portanto, o que importa é oferecer o necessário a eles, sempre os tratando com respeito e carinho”.

A psicóloga enfatiza ainda que humanização ao extremo pode ser prejudicial tanto para as pessoas quanto para os bichinhos.

“Muitos seres humanos não sabem, por exemplo, lidar com a morte do seu animal de estimação e isso acaba gerando vários outros problemas, assim como os bichos também sentem a ausência de seus donos quando eles falecem”, finaliza.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s