Luz no palco

Teatro Luzart se apresenta no colégio Liceu Salesiano.

Por Vanessa Ribeiro

O teatro Luzart é uma iniciativa da counidade católica Sal e Luz.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
Perigo na pista

Perigo na pista

Atropelamentos em rodovia causa revolta dos moradores de Monte Mor

Por Vanessa Ribeiro

As más condições rodovia Jornalista Francisco de Aguirra Proença, popularmente conhecido como Campinas-Monte Mor (SP 101), tem sido causa de atropelamentos na região, principalmente em Monte Mor, em que há bairros que ficam ao lado da rodovia, submetendo os pedestres a um deslocamento perigoso, já que não há, sequer, lombadas em alguns pontos de grande fluxo.

O trecho da rodovia SP 101 está em projeto para ser duplicado e melhorar sua infraestrutura. A falta de estrutura da rodovia já causou muitos acidentes devido à grande quantidade de caminhões que gera congestionamento. Os carros e motos que estão submetidos a uma única via competem, ainda, com o tráfego de ônibus que faz o transporte intermunicipal entre Campinas, Hortolândia e Monte Mor.

Um dos fatores que causa acidente é o fato de haver moradias dos dois lados da rodovia e os moradores precisam atravessar se arriscando constantemente. O período de entrada e saída de aula da escola Terezinha do Menino Jesus Calil, no Jardim Paviotti em Monte Mor, coincide com os horários de pico em que o congestionamento e trânsito aumentam significantemente. Isso dificulta a travessia dos pais com crianças para os bairros próximos que se submetem ao perigo da movimentação do tráfego.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Concessionária Rodovias do Tietê, a duplicação da rodovia já está prevista e no momento as obras estão no processo de demarcação topográfica, levantamento de interferências e aguarda a desapropriação das áreas do trevo no quilômetro 13,5 em Hortolândia e a liberação ambiental para que o projeto seja iniciado. A totalidade dos trechos que serão contemplados vai do km 11 ao km 43, ou seja, de Hortolândia até Capivari, passando por Monte Mor. Além disso, serão implantadas 7 passarelas ao longo do trecho. As marginais serão feitas nos trechos que vai do km 11,5 ao 25,8.

Maria Salete, professora há 6 anos em Monte Mor, moradora de Campinas que passa todos os dias pela rodovia, conta que sempre houve acidentes, porém, há negligência tanto por parte dos motoristas, quanto dos pedestres que, segundo a professora, não têm cuidado ao atravessar. “Ninguém tem intenção de atropelar um pedestre, mas muitas vezes nós temos que tomar o dobro de atenção por conta do descuido de muitas pessoas que sai atravessando sem o menor cuidado”, Maria Salete acredita que construindo a passarela não vai resolver o problema de acidentes se não houver conscientização dos pedestres.

Moradores se arriscam enquanto o trânsito dá uma trégua.

O recapeamento da rodovia está previsto em R$ 8,5 milhões, e está registrado no edital de concessão assinado entre a Rodovias Tietê e o Governo do Estado de São Paulo. “O valor a ser investido na SP-101, até o final da concessão, será de R$ 266,5 milhões.” Afirma a Assessora de imprensa Fabiana Sorrilha.

 A moradora do bairro Jardim Paviotti, Mariluce Silva, conta que recentemente houve um acidente na rodovia envolvendo duas vítimas: um motoqueiro e uma pedestre. “O acidente foi fatal, pois a pedestre morreu poucos minutos após o ocorrido. O povo está revoltado, fizeram protesto”, relata a moradora. Segundo Mariluce,

eles estão reivindicando lombadas a curto prazo e a construção de uma passarela, que é o mais apropriado. O acidente ocorreu no trecho em frente ao Jardim Paviotti. A moradora relatou, ainda, que houve um protesto na rodovia com a queima de pneus. As pessoas estavam revoltadas com a recente morte da antiga moradora.

Em resposta a previsão de término das obras, a ARTESP – Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo – responsável pela fiscalização dos serviços prestados pelas concessionárias de rodovias e pelas empresas de transporte intermunicipal de passageiros, afirmou a finalização do Km 11 ao 25 até 2014 e do Km 25 ao 43 até 2019.

Gato preto em perigo

Gato preto em perigo

     Felinos totalmente pretos são vítimas de mutilações em rituais religiosos na temporada do Dia das Bruxas. 

    Por Marília Cecílio (marilia_ken@hotmail.com)

     Nessa temporada de Halloween a situação fica ruim para os gatos pretos, pois existe a possibilidade de serem perseguidos para a realização de rituais religiosos. No Brasil até já foi criada uma campanha para que ninguém doe gatos de coloração totalmente preta e não castrados (um requisito para o ritual), para protegê-los de possíveis sacrifícios religiosos.

     O preconceito contra esses gatos começou na Idade Média quando as pessoas acreditavam que as bruxas conseguiam transformar-se em gatos pretos e nos dias de hoje é possível ver como esses felinos ainda têm essa má fama, pela dificuldade de serem adotados e também por serem sacrificados em rituais religiosos.

     Nesses rituais, é comum os gatos terem os olhos, dentes e órgãos arrancados, as patas decepadas, focinho costurado, enquanto está vivo. Uma das voluntárias da Associação Amigos dos Animais de Campinas (AAAC), Priscila Dainez Ferreira, conta sobre um caso que já aconteceu na Associação. “Vieram sem os dois olhos, toda a ninhada (de gatos pretos). Alguns morreram. Aliás, existe um quarto na associação só de gatos cegos e muitos foram por causa de ritual religioso.”

     A estudante Flávia Orsi, dona de cinco gatos pretos, diz que não gosta de deixar seus gatos soltos. “Já ouvi muita história de gente que pega gato preto para matar. Então não gosto muito de deixar meus gatos soltos, tanto os pretos como os outros, porque vai saber, sempre tem um maluco por aí.”

Midnight, o gato da estudante Flávia Orsi

          

     Priscila ainda dá dicas de como suspeitar de pessoas que podem estar adotando só para realizar um sacrifício religioso. “Falamos sempre que o gato tem uma manchinha branca ou que já é castrado, porque assim, essas pessoas não adotam. Fazemos isso para a própria proteção dos gatinhos”.

     Mas, se depender do deputado estadual Feliciano Filho do Partido Verde, os sacrifícios de animais não serão mais cometidos. No último dia 15 foi apresentado na Assembléia Legislativa o projeto de lei n° 992/2011, criado pelo deputado Feliciano Filho, que proíbe sacrifícios de animais no estado de São Paulo.

Ritual religioso realizado com gato preto

Gravidez precoce diminui

Gravidez precoce diminui

Melhora nas aulas de educação sexual nas escolas e aumento da distribuição de anticoncepcionais nos postos de saúde reduz o número de adolescentes grávidas.

 
Por Marília Cecílio (marilia_ken@hotmail.com)

O número de adolescentes grávidas caiu 36,3% na região de Campinas na última década e de acordo com o coordenador do Programa Municipal da Saúde da Mulher, Fernando Brandão, isso ocorreu com o aumento da distribuição de anticoncepcionais e com as escolas dedicando-se mais as aulas de educação sexual.

Há treze anos, 3.084 adolescentes engravidaram, sendo que neste ano somente 1.966 garotas ficaram grávidas, cerca de 37% a menos, totalizando 12,8% de todos os partos realizados na região de Campinas. “As causas da diminuição da gravidez na adolescência são a melhora das aulas de educação sexual nas escolas e mais o aumento da distribuição de anticoncepcionais” segundo Brandão. Antes, as aulas de orientação sexual eram estritamente científicas. Hoje, aspectos sobre intimidade, afetividade e ética também são lecionados.

 

Fernando Brandão, Coordenador do Programa Municipal da Saúde da Mulher

Uma dessas muitas meninas grávidas é Carolina Pires, de 18 anos, mãe de Valentina, que hoje tem um ano e um mês. Descobriu a gravidez quando tinha 16 anos, após fazer um exame de sangue, devido a enjôos freqüentes que sentia. “Me senti mal, extremamente com medo, e insegura. Afinal, eu não queria ser mãe agora. Chorei, chorei, chorei vários meses. Mas depois foi passando”. Carolina, que ficou grávida por não usar preservativo nem nenhum outro contraceptivo, diz que hoje consegue conciliar a vida de mãe e de estudante. “De início rejeitei, mas com tempo fui aprendendo que eu poderia fazer disso uma alegria, e aprendi que podia ser diferente. E foi, está sendo.”.        

Carolina Pires engravidou de Valentina aos 16 anos

O ginecologista Antonio Martins explica como agir em caso de gravidez: “Se uma adolescente engravidar, ela deve imediatamente ir ao médico para fazer um exame e confirmar a gravidez. Com isso, a paciente deve começar o pré-natal e continua até o pós-natal para a segurança dela e do bebê. O apoio da família, especialmente quando se trata de uma menina que está grávida, é tão importante quanto o acompanhamento médico da gestação”. O médico obstreta também explica quando se deve suspeitar de gravidez: “Náuseas, vômitos, dor de cabeça, cólicas, cansaço, seios doloridos, fica emotiva toda à hora e principalmente atraso na menstruação. Se sentir vários desses sintomas ao mesmo tempo, é bem possível que um bebê esteja a caminho”.